Colaboración da AELG co Centro de Estudos Galegos de Lisboa. Visita de Susana Sánchez Arins

A AELG colabora co Centro de Estudos Galegos de Lisboa coa visita de Susana Sánchez Arins, co apoio da Secretaría xeral de Política Lingüística.

Na súa estadía en Lisboa Susana Sánchez Arins ofrecerá dúas conferencias.

A primeira, con título “Literatura, Arte, Compromisso: Escrever a Ditadura”, terá lugar o día 12 de outubro, ás 18.30, no marco das xornadas “Resistir na longa noite de pedra”, dedicadas á resistencia na Galiza durante a ditadura franquista. Este é o programa completo das xornadas, que se desenvolverán na Biblioteca-Museu República e Resistência (Rua Alberto de Sousa, 10 A, 1600-002 Lisboa):

11 de outubro

  • 19:00 Apresentação da reportagem televisiva: «A Guerra Também Foi Nossa», de Ana Luísa Rodrigues (jornalista, que estará presente), José Rui Rodrigues e Carla Quirino (imagem)

12 de outubro

  • 18:30  Conferência: “Literatura, Arte, Compromisso: Escrever a Ditadura”, com Susana Arins
  • 20:00 Jantar Galego Republicano de 1936  (inscrición previa en interculturacidade@gmail.com)

13 de outubro

  • 18:30 Conferência: “Organização, mobilização e resistências na freguesia das Encrovas (Cerzeda, Galiza)” , por David Fontán
  • 19:30 Recital Poético: Poesia de Intervención en Portugal e na Galiza

A segunda das súas conferencias será a que titulada “Memória Histórica e Mulheres. Dos silêncios e as silenciadas” ofrecerá o día 13 de outubro ás 17.00 na sede da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta (Empreendimentos Alcantara Rio – Rua da Cozinha Económica, Bloco D, Espaços M e N, Alcântara, 1300-149 Lisboa).
A moderación estará a cargo de Maria Dovigo, vicepresidenta da Academia Galega da Língua Portuguesa.

A AELG colabora co Centro de Estudos Galegos da Universidade Nova de Lisboa na organización dos eventos.

Lisboa: Resistir na Longa noite de pedra. Olhares Contemporâneos Sobre a Luta Antifranquista na Galiza, do 11 ao 13 de outubro

2º Concurso Trapiche de Contos e Poemas, desde Brasil

Desde a Editora Nordeste Cartonero:
“A Editora Nordeste Cartonero convida poetas e escritores de toda a aldeia global que escrevem em Língua Portuguesa ou em galego, a participarem de sua convocatória literária 2º Concurso TRAPICHE de contos e poemas. Este ano, serão aceitas inscrições de poemas e narrativas visuais, além dos gêneros escritos. O regulamento se encontra na página da Editora Nordeste Cartonero no Facebook, em postagem no endereço seguinte:
Regulamento
1 – Participantes
Escritores e poetas com idade a partir de dezoito anos de idade, residentes de qualquer parte. Só serão aceitas produções cujos textos escritos estejam no idioma português ou galego.
2 – Inscrições
O livro de versos ou contos deverá ser produzido em língua portuguesa ou em galego, salvo expressões ou palavras de outras línguas justificadas literariamente e com contexto possível de ser compreendido nessas línguas. Também poderão ser inscritos poemas visuais, fotomontagens, a técnica da collage e pequenas narrativas sem palavras (tirinhas/ faixas horizontais de banda desenhada). Usamos a definição de Hugo Pontes para o termo “poema visual”: “O poema visual caracteriza-se por valorizar a imagem como entidade universal. A palavra, no caso, é muito bem explorada e colocada, compondo um todo harmônico capaz de permitir ao ‘leitor’ – aquele que lê e vê ou só vê – uma infinidade de leituras, de acordo com o nível do seu conhecimento, experiência de mundo, cultura e escolaridade.” (Fonte: goo.gl/ada21t). Usamos a definição de Antônio Miranda para collage: “O material colado é a palavra em diferentes tipos de letra. Se o uso desse procedimento composicional é emprestado para sublinhar os aspectos visual-plásticos submergidos em materiais considerados antiestéticos para a arte, na poesia futurista e dadaísta como em todo o resto da poesia que usa esse mesmo procedimento, o mesmo efeito faz o poema abordar preocupações visuais, esvaziando o aspecto semântico do sinal verbal ao submetê-lo a uma dominante visual” (Fonte: goo.gl/rBCBGf). Usamos a definição de Paulo Ramos para “tirinhas”: “A expressão é uma tradução de “comic strip”, importada dos Estados Unidos nas primeiras décadas do século passado [dezenove] junto com as produções em quadrinhos que vinham de lá. De forma bastante resumida, seriam produções marcadas por um desfecho inesperado, tal qual uma piada” (Fonte: RAMOS, Paulo. Tira ou tirinha? Um gênero com nome relativamente instável. goo.gl/Vpfum1). Para participar do concurso, cada candidato deve seguir os seguintes critérios:
a) curtir a página da Editora Nordeste Cartonero no Facebook, compartilhando a postagem de nossa convocatória literária em modo público;
b) as inscrições serão realizadas através do envio de mensagem eletrônica (e-mail) para nordestecartonero@bol.com.br, com o título da mensagem: “Inscrição para o 2º Concurso Trapiche de Contos e Poemas”. Os textos concorrentes deverão estar em documento anexo à mensagem, e não copiados e colados no corpo dela, sob pena de exclusão do autor inscrito. Os concorrentes participarão com apenas um livro de versos ou narrativas curtas. Serão excluídos os autores que inscreverem mais de um livro;
c) para os participantes com livro de versos (gêneros diversos/ poemas visuais/ fotomontagem/ collage), o livro não deverá exceder vinte composições, sendo que para os versos escritos, cada um contendo uma extensão entre dez e cinquenta versos, digitados em formato A4, Times New Roman, tamanho 12 e espaço 1,5 (escrito no editor de texto Word 2010 ou anterior, ou editor LibreOffice);
d) para os participantes com livro de contos (narrativas breves), o livro não deverá exceder dez contos, cada conto com até cinco páginas em A4, Times New Roman, tamanho 12 e espaço 1,5 (escrito no editor de texto Word 2010 ou anterior, ou editor LibreOffice). Para livros no gênero “tirinhas”, serão admitidas narrativas na quantidade de cinco tirinhas por página, cada quadro das tirinhas com 5 (cinco) centímetros quadrados;
e) os textos deverão ser originais e inéditos em quaisquer meios, sejam impressos, eletrônicos ou em outros formatos;
f) na segunda edição do Concurso Trapiche de Contos e Poemas, a Editora Nordeste Cartonero privilegia “a cidade e o território” como tema, lugar de pertencimento, de identidade cultural, de conflitos e diálogos, de naturais e estrangeiros que a elegeram para viver, de exclusão e inclusão, de dentro e fora. Utilizamos as palavras do geógrafo brasileiro Milton Santos (no livro O Brasil: território e sociedade no início do século XXI), para definir o conceito de “território”: “O território, tanto quanto o lugar, são esquizofrênicos, porque de um lado acolhem os vetores da globalização, que neles se instalam para impor sua nova ordem, e, de outro lado, neles se produz uma contraordem, porque há uma produção acelerada de pobres, excluídos, marginalizados”.
g) os autores deverão ficar atentos à correção e revisão estilística e gramatical de seus textos, sendo avaliados os critérios de liberdade artística quando se desviarem propositalmente da modalidade escrita padrão da língua, quanto à presença de textos escritos;
h) O arquivo com os textos a ser enviado anexo à mensagem por e-mail (Endereço Eletrônico) deverá ser inscrito sob pseudônimo, com o título da obra. No corpo da mensagem de e-mail, o concorrente deverá digitar: nome completo; lugar e data de nascimento; número de cédula/bilhete de identidade (documento nacional de identificação civil); pseudônimo (nome fictício); nome da cidade e país onde reside; número de telefone para contato via WhatsApp [somente nos comunicaremos em língua portuguesa]; e-mail pessoal; pequena biografia com informações sobre o autor; fotografia do autor em arquivo no formato JPEG anexa à mensagem;
3 – DATAS DE INÍCIO E ENCERRAMENTO
Cada participante poderá inscrever seu livro de poemas/ poemas visuais/ fotomontagem/ collage ou de contos/ tirinhas a partir do dia 1º de agosto de 2018. A data de término do concurso ocorrerá no dia 30 de novembro de 2018, sendo aceitas postagens por e-mail até às 23h59 (horário de Brasília).
4 – SELEÇÃO
Os livros inscritos serão submetidos a uma seleção interna da Editora Nordeste Cartonero, que analisará, além dos critérios estilísticos e gramaticais acima mencionados, a criatividade, originalidade e respeito aos direitos humanos, ainda que os autores se valham da ironia e de linguagem metafórica ampla como expediente da denúncia contra abusos a quaisquer minorias políticas e de outros tipos. Apenas uma obra será selecionada como vencedora do 2º Concurso TRAPICHE de contos e poemas. O autor será avisado pelo e-mail de sua inscrição sobre a seleção de sua obra.
A Editora Nordeste Cartonero poderá publicar outras obras não selecionadas no concurso em momento posterior, pelas quais procurará os respectivos autores para solicitar sua autorização, sob as mesmas condições de respeito à autoria e demais cláusulas apontadas acima sobre publicação.
5 – DA NÃO PUBLICAÇÃO
A Editora Nordeste Cartonero pode decidir não selecionar nenhum dos textos, por ausência de critérios de qualidade suficientes.
6 – PUBLICAÇÃO DA OBRA SELECIONADA
A obra selecionada como vencedora do 2º Concurso TRAPICHE de contos e poemas será editada e impressa no primeiro semestre de 2019, a qual serão entregues 10 (dez) exemplares ao autor na cidade/país onde reside, através da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. A Editora Nordeste Cartonero será responsável pela edição, diagramação e capas dos exemplares do livro selecionado. O autor deverá copiar em novo arquivo em Word ou OpenOffice nas versões acima mencionadas, a seguinte autorização para publicação do livro:
“Eu,_________________________________________________, identidade/ documento nacional de identificação civil número________________, em caso de ser selecionado no 2º Concurso TRAPICHE de contos e poemas, autorizo a Editora Nordeste Cartonero a diagramar, editar e publicar meu livro intitulado________________________________.”

Editora Nordeste Cartonero”

Compostela: 1º Encontro da edición galega e portuguesa, o 25 de setembro

Vigo: actos destacados na Feira do Libro 2018 para o 30 de xuño e 1 de xullo

O domingo 1 de xullo continúa a Feira do Libro de Vigo (na Porta do Sol, con horario de 11:00 a 14:00 horas e de 17:30 a 22:00 h.), organizada pola Federación de Librarías de Galicia, cos seguintes actos literarios destacados para estes días:

Sábado 30 de xuño
18:30 h. Presentación do novo libro+cd de Chuches Amil, Monstros con ou sen consentimento, publicado por Galaxia.
19:45 h. Presentación de Castelao na arte europea, de Siro López, publicado por Garañón. Posterior firma na Secretaría.

Domingo 1 de xullo
19:45 h. José Manuel Ledo Santiso presenta o seu libro de relatos Camiño, publicado por Ir Indo.
20:30 h. Falando con Fausta Cardoso Pereira, autora de Dormir com Lisboa, publicado por Urco. Participa David Cortizo.